Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 10 de dezembro de 2009

>

A Ivana, em um dos seus comentários aqui no blog, me perguntou como eu comecei a trabalhar com artesanato e como eu sabia que falar sobre isso seria muito assunto, resolvi escrever um post. Vira e mexe alguém me pergunta a respeito…

Bom, eu jamais imaginei que os caminhos me levariam para o trabalho manual, apesar que, desde criança convivi com tias e avós e estavam sempre munidas de linhas, agulhas e tecidos. Uma das minhas tias por parte de mãe sempre costurou e inclusive fazia roupas para as crianças da família, fantasias de carnaval, etc. E eu passava boa parte do meu tempo junto com ela em seu quartinho de costura, super curiosa com tudo.  Outra tia por parte de pai também é super habilidosa em relação ao trabalho feito à mão. Minha avó paterna fazia fuxicos e sempre presenteava as filhas e noras com almofadas e colchas que ela demorava meses fazendo. Mesmo como toda essa influência, eu só fui perceber que “dava para a coisa” muitos anos mais tarde.

Me formei em Ciências Biológicas na faculdade no ano de 1999 e, no ano seguinte, comecei a trabalhar como professora do Ensino Médio em um colégio particular na minha cidade. Fiquei lá durante 2 anos e adorei a experiência. Ali eu vi que tinha nascido para ser professora. Mas, apesar disso, estava super descontente com o meu emprego, tive que engolir muitos sapos, e em 2002 pedi demissão. Meu marido começou a trabalhar em uma empresa (está lá até hoje) e precisávamos nos mudar de cidade devido à distância. Enquanto estive desempregada, fiz alguns cursos de Terapia Holística em Copacabana, dentre eles Shiatsu Facil e Auriculoterapia. Me formei e, mais uma vez tive a sensação de que nasci para ser Terapeuta… rs. Fiz mais alguns cursos e trabalhei atendendo em domicílio por um tempo. Percebi que ainda não estava tão satisfeita assim…. rsrs… eita insatisfação!

Durante dois anos eu resolvi trabalhar por conta própria, com revisão de textos. Foi também uma experiência bem legal, mas que me consumia horrores. O estresse foi tomando conta de mim de um jeito que pensei em largar tudo aquilo e chutar o balde. Foi então que, numa tarde de dezembro de 2004, peguei minha bolsa e saí a pé para dar uma volta pelo bairro. Fui paquerando as vitrines das lojas, mas não comprei nada… tinha pouquíssimo dinheiro na carteira. Até que uma das lojas me chamou a atenção: era um armarinho repleto de coisas fofas, que oferecia aulas de patchwork, bonecas de pano, entre outros. Entrei e pedi informações. Meu interesse inicial foi pelo patch, mas quando vi as bonecas country fique completamente apaixonada. Coincidência ou não, o pouco dinheiro que eu carregava dentro da bolsa era o suficiente para me inscrever no curso, adquirir os materiais básicos necessários e comprar o kit da primeira aula. Não pensei duas vezes!

Saí da loja sem um tostão no bolso, mas com um baita sorriso e super ansiosa para começar a primeira aula. Voltei para casa e contei ao meu marido o que eu tinha feito. Como sempre, ele me apoiou e eu expliquei que esta seria uma boa maneira de me livrar de parte do estresse que eu havia acumulado com o passar dos anos.

O grande dia chegou! Minha primeira aula de bonecas… saí de lá radiante com a minha primeira bonequinha de pano nos braços. Em seguida, consegui completar mais um projeto do curso e aprendi a fazer outra boneca. Mas eu não tinha mais dinheiro para continuar com o curso. Mesmo assim, consegui comprar uma máquina de costura (a que uso até hoje) e não desanimei. Imaginei que poderia aprender mais coisas via internet e comecei a buscar tutoriais e informações. Passei o ano de 2005 inteiro aprendendo e experimentando. Entrei em diversos grupos de artesanato, especialmente de bonecas, e comecei a interagir com as meninas que buscavam o mesmo que eu: compartilhar experiências. Conheci muita gente bacana e muitas são minhas amigas até hoje. Cheguei a viajar para SP em 2007 para um encontro de bonequeiras e a amizade que antes era virtual, estreitou seus laços. Fiquei uma semana em Sampa na casa da Ana Paula lá em Peruíbe e pude encontrar amigas de vários estados do Brasil. Foi uma semana mágica!

Neste período eu ainda não comercializava meus produtos. Primeiro porque não me sentia segura em relação aos meus trabalhos e segundo porque eu ainda não tinha definido muito bem qual seria a direção que eu daria para ele, já que em se tratando de bonecas, as possibilidades são infinitas. Mesmo assim, fiz algumas peças a pedidos de alguns clientes que me encontravam pela internet, mas eu não tinha site e nem loja virtual para vendê-las… Então tudo era tratado via e-mail e telefone. As vendas eram muito esporádicas.

Criei a marca MiLinhas no final de 2006, pois precisava de um nome para etiquetar os presentes que eu dava para os amigos. Em 2007 participei da minha primeira feira, que foi uma decepção enorme. Também fui convidada para fazer um programa na TV Cidade Imperial de Petrópolis/RJ. E, no início de 2008 recebi um convite para ingressar no portal Elo7.

Abrir a minha loja no Elo7 foi realmente o divisor de águas na minha carreira de artesã. Foi através dele que as minhas vendas começaram a se tornar significativas. O mais engraçado é que as coisas foram caminhando para este lado naturalmente. Desde quando entrei naquele armarinho em 2004 não imaginei que eu fosse realmente trabalhar com isso. Eu buscava uma terapia, um modo de relaxar e não uma forma de ganhar dinheiro.

O ano de 2008 foi muito interessante neste sentido, tanto em vendas como em projeção. Tudo muito tímido ainda, mas caminhando de forma gradual. Neste ano tive produtos aparecendo em dois jornais: um de circulação em Campinas/SP e o outro de Niterói/RJ. Posso dizer que 2008 foi um ano de experiências positivas.

Assim, em fevereiro de 2009 minha loja completou um ano de vida e com saldo super positivo. Me tornei mais conhecida, meus produtos também e as vendas aumentaram. Em agosto inaugurei meu site http://www.milaviegas.com.br e tem sido muito interessante vender através dele. Continuo com a loja virtual no Elo7 que já soma mais de 125 mil visitas e centenas de vendas bem sucedidas.

Obviamente, ainda estou em fase de crescimento neste sentido e é muito bacana ver o próprio negócio se desenvolvendo a cada dia e começando a caminhar com as próprias pernas. Porém, existem muitos projetos que pretendo realizar e, certamente, começarei a mexer neles a partir de 2010. Quero poder realizar muito ainda e este é apenas o começo.

Esse caminhar não foi fácil. Sofri e ainda sofro alguns preconceitos devido à minha escolha. O fato de trabalhar em casa ainda não é muito comum e nem muito aceito por muitos à minha volta, mas a minha família (marido, filho) me apoiam de montão e é isso o que mais importa. Meu trabalho é cansativo, não deixa de ser estressante e muitas vezes senti vontade de desistir de tudo. Isso é absolutamente normal! Mas a paixão que nasceu dentro de mim em algum momento da minha vida é a mola propulsora do meu trabalho e não me deixa desistir. Hoje não me vejo fazendo outra coisa e, caso meus caminhos me levem a outros lugares, tenho certeza de que o artesanato continuará envolvido e permancerá como base para qualquer projeto que eu desenvolva futuramente.

Minha vida não é glamourosa, nem fácil, como muitas vezes pode aparentar ser. Mas foi a vida que eu escolhi e que me dá prazer. Todos os dias as minhas tarefas não são simples de serem realizadas, meu tempo precisa ser dividido e eu realmente não consigo dar conta de tudo. Ainda trabalho sozinha e sou uma só… rsrs… Recebo ajuda do marido que sempre está disposto a me dar as duas mãos se for preciso, mas a carga maior recai sobre mim… Sem problemas!

O mais importante em toda trajetória é ter coragem para enfrentar os desafios, ultrapassar os obstáculos e manter o sorriso no rosto mesmo quando tudo parece estar contra nós. Não me arrependo de nada nessa vida, pois tudo o que eu podia fazer (mesmo quebrando a cara), eu fiz. E empreender tem muito disso… não ter medo de se aventurar e saber reconhecer os erros, trabalhar para melhorar a cada dia e ter prazer nas coisas simples.

Acho que é isso! rs.
Quase escrevi um livro!

Até mais…

Anúncios

Read Full Post »

>

Primeiro de tudo quero agradecer o carinho de alguns neste dia “especial” (está entre aspas porque para mim todos os dias são especiais de algum modo!).

Começo agradecendo ao meu marido que foi o primeiro a me dar os parabéns e me fazer mimos e carinhos! E ao meu filho que me deu um abraço bem gostoso.
Um super obrigada às meninas do grupo Troquinhas Fofas do Yahoo! que me enviaram dezenas de e-mails com felicitações (ainda vou responder a todas individualmente!).
Agradeço à galera do Orkut e do Flickr (até agora tenho recebidos seus recadinhos que também pretendo responder um a um).
Agradeço à minha mãe por ter me ligado alguns minutos antes do “meu nascimento” para me desejar tudo de bom nessa vida e mais e mais e mais… à minha irmã, ao meu afilhado fofo que gritou lá do outro lado “Parabéns dindaaaaaaa, e parabéns pra mim também!” rsrs… pois ele faz aniversário no próximo domingo e está super ansioso! rs… Ao meu padrasto que me ligou depois do trabalho e foi super carinhoso.
À Cris pelo telefonema e pelas horas de bate-papo (sei que você não pode vir me dar um abraço mas entendo os motivos).
À Dani Reis por ter se lembrado (amiga de longa data!) e me telefonado durante a tarde… Muito bom falar com você!
À Ana Paula que está no Brasil e não vejo a hora de reencontrar. Adorei ouvir sua voz!
À Beth pelo telefonema gostoso (você foi a segunda pessoa a me ligar depois da minha mãe!).
À Lu pelo e-mail carinhoso demais que me deixou com pingos nos olhos! (Vou responder em breve!).
Ao Juliano pelo e-mail de felicitações e por uma feliz coincidência aniversaria hoje também.
À minha madrinha que trabalhou o dia inteiro, chegou cansada e ainda me ligou com uma vozinha exausta. Sábado nos veremos, dinda!
Ao Marcelo e a Joyce pelo telefonema e valeu a intenção, mas a chuva não colaborou. Nos veremos em breve!
À Ivana pelos recadinhos carinhosos aqui no blog!
E à todos que mesmo sem poderem telefonar ou escrever pensaram em mim e se lembraram deste dia.

As fotos são do meu bolinho que já está quase no finalzinho… rsrs… O Fabio trouxe para nós 3 já que ninguém poderia vir aqui hoje. Está uma delícia! Uma torta de limão do jeitinho que eu gosto.

Hoje foi um dia meio que “normal”, tirando logicamente o telefone que não parou de tocar (rs) e os e-mails e recados que não paravam de chegar. Trabalhei parcialmente e me permiti adentrar em novos projetos ao invés de mexer nos antigos. Choveu bastante, mas não atrapalhou muito as minhas idas e vindas na rua. Graças a Deus que o temporal só caiu quando eu já havia buscado meu filho na escola.

Fiquei com a voz rouca de tanto bater papo no telefone… rsrs. E estou super cansada tentando não pensar muito no dia corrido que terei amanhã. De volta à rotina! Além disso, vou responder todo mundo que me enviou e-mails e recados, mas não posso prometer que farei isso tão rápido…rs.

No mais, meu dia foi bem legal e sei que ainda terei mais coisas para falar a respeito disso, porém deixarei para próximos posts!!!

Valeu galera!! Vocês são demais!!!
Super beijos!

Read Full Post »